quarta-feira, 5 de dezembro de 2018

Relato: Uma lembrança de uma vida passada

Estive na Elfland por pouco tempo, se é que estive, entre uma série de sonhos estranhos, relatarei o que mais me chamou a atenção.

Eu vivia em uma época que acho que era os anos 30 ou 50 as mulheres usavam chapéus, luvas brancas que quase tocavam os ombros, blusas que cobriam os ombros, saias que quase alcancavam os tornozelos, eram todas elegantes e simpáticas umas com as outras, se davam presentes em caixas enormes com laços bonitos o tempo todo. Eu me lembro de uma mulher loira que era parecida comigo (eu também era loira), nós éramos amigas e ela me adorava, mas eu não gostava muito dela, acho que sentia inveja. Enfim, ela era uma boa pessoa, sorridente, meiga e gentil, nunca me negava nada, já que era dona de um mercado que possuía uma doceria nos fundos. Ela ficou chateada quando me viu dando um presente para outra mulher em frente ao seu mercado, tinham várias pessoas reunidas em frente ao mercado, a maioria, mulheres.
O presente que dei era um filhote de labrador amarelo, dentro de uma caixa branca com um laço azul.
Fui ao encontro da dona do mercado e a cumprimentei com um beijo no rosto, então entramos no mercado, aconteceu um show onde uma mulher cantava num palco improvisado, eu não assisti o show e achei estranho que os empregados estivessem tão fascinados pela cantora a ponto de esperarem os intervalos da apresentação para venderem doces e bebidas. Eu não costumava comprar nada e os empregados não gostavam de mim por isso, mas quando eu vi a dona escolhendo um doce, mudei de ideia e escolhi dois sonhos, um comum e outro de chocolate com granulado, a vende pareceu meio incrédula com os meus pedidos, eu me ofendi e disse que tinha dinheiro, a dona veio e disse pra mulher entregar meu pedido, nos afastamos sem pagar e nos sentamos em uma mesa e comemos. Eu tinha uma antipatia forte por essa mulher da mesma forma que tenho por uma garota que conheço, já há algum tempo. Isso me fez repensar meu comportamento em relação a ela.

Relato: Uma lembrança de outra vida, ou só um sonho?

Uma cortesã  do século XX, morena clara, alta, magra, bonita, com cabelos longos e negros que estavam presos em um coque, e trajando um vestido preto de época andava pela rua quando foi abordada por alguns homens. Eles eram ruins, talvez piratas, ela sabia só de olhar em seus olhos e ver seus sorrisos de escárnio. Então, a moça correu ou foi arrastada até uma casa, não me lembro bem. Sei que ela se escondeu embaixo de uma cama. Os homens vieram e tiraram o colchão da cama e o jogaram longe. Ela pegou um pedaço de pau e os enfrentou como se portasse uma espada. Achou injusto enfrentar dois homens ao mesmo tempo. Eles a ameaçaram, mas ela não se intimidou e conseguiu passar por eles e fugir, como se tivesse se jogado de um barco. Eu falo isso porque, de alguma forma, ela tentava controlar as coisas como se aquilo fosse um sonho. Enfim, ela correu e dobrou a esquina, se refugiando no cabaré onde vivia. Ninguém sabia, exceto a velhinha, dona do cabaré, que ela tinha um saquinho amarelo de veludo cheio de moedas que ela juntava para ir embora dali. O líder do bando disse aos outros que não precisavam ir atrás dela, que ela voltaria para o cabaré, para juntar dinheiro para fugir, e que ela teria uma surpresa. Bem, a ideia do imbecil era aparecer como um cliente,e foi o que ele fez aquela noite. A moça estava em um quartinho mal iluminado sentada em cima de uma trouxa de roupas, tinha decidido não trabalhar, e a velhinha concordou. O infeliz apareceu e disse a velhinha que queria ficar com a moça, ele disse o nome dela, mas esqueci. A velhinha disse que ela não trabalharia aquela noite. O cara se aproximou dela, a segurou pelo braço, e disse que queria ficar com a tal moça, e que se ela não viesse recebê-lo, ele iria atrás dela. A velhinha disse que ia buscá-la, então foi até o quarto da moça e disse o que estava acontecendo, a moça pensou em fugir, mas a velhinha lhe advertiu a pensar bem no que fazer, então a levou até os fundos e mostrou que havia homens escondidos no mato, esperando por ela, caso, ela decidisse a fugir. A velhinha levou o puto até o quarto escuro onde outra mulher morena esperava por ele, assim ele passou a noite com outra mulher sem perceber.
A moça pegou sua trouxa de manhã e fugiu pelos fundos, passou pelo mato e olhou ao redor, mas já não tinha ninguém a esperando, felizmente. Então, ela correu até um trem velho e enferrujado que começava a se locomover e conseguiu saltar para dentro de um dos vagões escuros e vazios. Se sentiu no chão e seguiu viagem até sua cidade, ela tinha um noivo, mas foi para a casa de seu pai. Ela havia ido embora a primeira vez para tentar a sorte na cidade mas as coisas deram errado por isso, ela terminou naquele cabaré. Seu pai era moreno claro como ela e estava sentado em um banco de madeira no corredor entre os quartos. Ela o cumprimentou, levou a trouxa para o quarto e puxou o zíper de seu vestido ainda na frente do pai, ela não parecia ter muito pudor quanto a isso. O pai desconfiou que algo aconteceu e perguntou se ela foi estuprada, ela desconversou, dizendo que tinha sido assediada por um homem casado, mas que não deu em nada, então ela foi pro quarto um pouco confusa e terminou de se trocar.

sexta-feira, 24 de agosto de 2018

Contato

Em caso de Dúvidas, Sugestões de Postagens, e Relatos, entre em contato comigo pelo email:


adancadasfadas@gmail.com


Não me contatem pelo Facebook ou pelo Google Plus, pois todas as mensagens enviadas através desses sites serão ignoradas! Use o email!

quinta-feira, 1 de março de 2018

Oferendas para as ninfas






As ninfas são os seres elementais que habitam e protegem fontes, rios, árvores, arbustos e flores. Estabelecer uma conexão com elas é fácil, e só requer respeito e gratidão pela natureza.
Você pode agradar as ninfas com as seguintes oferendas:

●Mel.
●Leite (pode adoçá-lo com mel).
●Creme de leite.
●Pão doce fofinho e quentinho (especialmente para as ninfas das águas como as que costumam habitar fontes e lagos).
●Bijuterias como pulseiras brilhantes, colares, anéis, etc.
●Perfume (não precisa dar um frasco grande, também pode só borrifar um pouco de perfume próximo a planta – nunca diretamente nela para não estragar suas folhas -; as essências que elas preferem são as suaves e naturais como flores).
●Mensageiro Dos Ventos; as fadas não são as únicas que gostam desse enfeite, as ninfas adoram. Você pode pendurá-lo na árvore em seu quintal ou então em sua varanda para atrair ninfas e pixies (fadas pequeninas e aladas que gostam de estar perto das ninfas).
●Moedas douradas (ninfas das fontes e também Hamadríades).
●Fitas coloridas (pode escrever seus desejos nelas e amarrá-las nos galhos das árvores ou arbustos).
●Coroas ou guirlandas de flores (pode confeccioná-las e pendurá-las nas árvores, e/ou pendurar na entrada da porta da sua casa para atrair as ninfas).
●Cristais de quartzo branco, verde, azul ou rosa.
●Poemas e canções; as ninfas se encantam facilmente com pessoas que possuem algum talento como cantar, compor ou escrever, inclusive, se busca inspiração, experimente acender um incenso para elas e escrever sob sua sombra.
●Flores (especialmente para as ninfas das águas, pode soltar uma flor bonita na água e oferecê-la as essas ninfas).
●Incensos (prefira os de essência natural como Rosas e Lírios).
●Velas (azul-claro para as da água, verde-claro para as da terra, e cor-de-rosa no geral; pode acender uma branca mesmo se tiver dificuldades em encontrar as outras cores).
●Frutas (especialmente as silvestres) como maçãs e amoras.
●Água pura e fresca.
●Cidra.
●Vinho.
●Morangos com creme.
●Doce de leite.
●Balas de leite ou morango.
●Jujubas.


Você pode colocar as oferendas em pratos e copos descartáveis e deixá-las ao pé de uma árvore frondosa ou mesmo de um arbusto próximo a sua casa, se possível. Ou pode separar recipientes próprios para essa finalidade, caso, possa realizar as oferendas em sua casa. Pode deixá-las também por três dias em seu altar e passado esse tempo, você pode jogar em água corrente ou diretamente na pia o que for líquido, o que for sólido deve ser enterrado (recomendo que tenha um vaso médio cheio de terra próprio para isso, caso more em um apartamento ou não possua um quintal), se realmente não tiver como enterrar as sobras, pode descartá-las, jogando no lixo mesmo, mas não é muito recomendável.
Não precisa acender velas e incensos a cada vez que oferecer algo a elas, só se você quiser.
Na hora de oferecer a elas qualquer coisa, basta apenas dizer algo como “Ninfa querida, aceite essa singela oferenda” ou qualquer coisa que sentir em seu coração que deva dizer. Ninfas apreciam palavras ditas com a emoção do momento e não algo já pronto como um discurso. Não significa que elas desprezem frases prontas, mas que apreciem mais palavras verdadeiras que surgem no calor do momento. Não tenha medo de abrir o seu coração e dizer o que pensa, uma vez que está diante de seres nobres e puros. ©



quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

Ninfas Askefruer


ASKEFRUER (“Mulheres-Freixo”) são as Ninfas dos Freixos, dotadas de poderes curativos e mágicos. O freixo é uma árvore sagrada para os povos nórdicos: representa a Árvore do Mundo, Yggdrasil, e é a matéria-prima para a criação de Ask, o primeiro homem. Essas Ninfas aparecem como mulheres peludas, com cabelos de raízes, seios volumosos e vestidas de musgo. Eram celebradas em três de agosto com oferendas de bebida, mel, perfume, flores e frutas.

Sereia Akkuva


AKKRUVA (AV FRUVVA ou HAVFRU), Mitologia Nórdica, padroeira dos peixes e dos pescadores, Akkruva se apresentava como uma sereia, com longos e belos cabelos e cauda de peixe. Ela podia ajudar os pescadores, aparecendo no meio da neblina para avisar sobre a aproximação da tempestade. Se fosse por eles devidamente honrada, subia os rios até a nascente e levava consigo os cardumes de peixes, favorecendo sua captura. No entanto, quando ficava enfurecida por causa da falta de respeito ou de oferendas, provocava afogamentos — mas levava o corpo dos afogados de volta para casa.

Ninfas Bushfrauen


Eram as guardiãs das florestas seculares da Europa central, protetoras dos viajantes. Um grupo das Bushfrauen também cuidava das árvores frutíferas, mas somente se fossem devidamente homenageadas e as pessoas tratassem as árvores com amor e respeito. Apareciam como mulheres com o corpo feito de troncos de árvore (às vezes oco nas costas), seios caídos, pele enrugada, cabelos esbranquiçados ou dourados e pés cobertos de musgo. Para se protegerem dos predadores, elas viviam dentro do tronco das árvores velhas, mas podiam revelar o segredo das ervas curativas para aqueles que as honrassem e presenteassem. Sua rainha era Bushgrossmutter (“A Avó dos Arbustos”), que era um elfo feminino com cabelos brancos e pés de musgo. Antigamente, no dia treze de janeiro, elas recebiam oferendas de sidra, maçãs assadas com mel e especiarias, fitas coloridas e moedas.

Plantas para atrair e afastar fantasmas


Acredita-se há muito tempo que árvores possuem diversos atributos - entre eles, a capacidade de proteger contra espíritos malignos. Com esse objetivo, a madeira,  casca, os gravetos, os galhos e as flores de certas árvores foram (e continuam sendo) presos a portas, perto de casas e em estábulos. Os tipos de árvores a seguir, quando usados para fazer amuletos têm a fama de repelir espíritos malignos:

●Freixo
●Folha de louro
●Vidoeiro
●Sabugueiro
●Espinheiro
●Nogueira
●Azevim
●Carvalho
●Sarva (sorveira brava)


Nos séculos passados, as árvores de teixo e sarva eram tradicionalmente plantadas em cemitérios na crença de que evitavam que o espírito sem descanso dos mortos vagassem à noite.
         Um antigo costume camponês russo era colocar uma grinalda de álamo tremedor ou uma cruz feita de madeira dessa árvore sobre o local de descanso final de pessoas que se acreditavam serem bruxas.

Se não deseja convidar fantasmas ou espíritos para a sua casa, então se assegure de NUNCA queimar a madeira ou qualquer outra parte do sabugueiro. Fazê-lo, segundo a superstição, fará com que você seja assombrado para sempre pelos espíritos que habitaram a planta. No entanto, pregar galhos de sagueiro sobre a porta da frente de sua casa impede que espíritos malignos entrem, segundo a crença escocesa.
           E da mesma forma que há certas árvores que tem o poder de repelir e proteger contra fantasmas e espíritos malignos, também há certas árvores que algumas pessoas acreditam atrair espíritos malignos como um ímã, o abrunheiro e a cerejeira são dois exemplos dessas árvores.


Ervas para conjurar espíritos dos mortos:


●Altéia
●Erva-doce
●Bálsamo
●Bambu
●Nepeta (catnip)
●Dente-de-leão
●Sabugueiro
●Absinto



Ervas para banir espíritos:


●Agrimônia
●Angélica
●Assa-fétida
●Erva-benta
●Feijões
●Bétula
●Eupatório (eupatorium perfoliatum)
●Espinheiro cerval
●Dente de alho
●Trevos
●Cominho
●Escabiosa
●Sangue-de-dragão
●Sabugueiro
●Samambaia
●Pulicária
●Olíbano
●Fumária
●Heliotrópio
●Marroio-branco
●Álamo silvestre
●Junípero
●Alho
●Alho-poró
●Lilás
●Malva
●Hortelã
●Visco
●Verbasco
●Mirra
●Urtiga
●Cebola
●Pêssego
●Peônia
●Pimenta
●Pinho
●Alecrim
●Arruda
●Sálvia
●Sândalo
●Ameixeira brava
●Boca-de-dragão
●Tamarga
●Cardo
●Capim
●Mimoso
●Milefólio (mil folhas)


Erva-de-são-joão se colhida numa sexta-feira e pendurada no pescoço, funciona como um poderoso amuleto para espantar todos os Elementais.









Fonte: Guia das bruxas sobre fantasmas e o sobrenatural - Gerina Dunwich

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Oração a ninfa guardiã





Minha ninfa guardiã, sábia irmã
Guie-me com seus conselhos quando minha alma se encontrar ferida
Faça-se sempre presente em minha vida
Me ajude a encarar as coisas com mais leveza
Que nos dias obscuros quando me encontrar em um mar de incerteza
Possa você vir em meu auxílio com presteza
Dá-me a certeza de que estás comigo hoje e sempre
Afastai-me das más companhias e livrai-me do orgulho e da maldade
Que assim seja e assim se faça.©




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Template by:

Free Blog Templates