sexta-feira, 16 de maio de 2014

A sina de Lola

11/05/14 Domingo

 Heather e eu estávamos saindo do mercado. Ela fez muitas compras e eu tive de me virar para ajudá-la a carregar tantas sacolas. No meio do caminho, eu abandonei as compras e me afastei de Heather e segui uma garota (a mesma garota morena que ajudei a fugir no sonho anterior, denominado "Lola") até uma vila afastada. Ela entrou em uma casa (já estive lá antes, uma vez, quando fui me esconder dos elfos) e discutiu com seu irmão (que devia ser apenas um ano ou dois mais velho que ela). Ela disse que "eles" sabiam quem ela era e que estavam atrás dela por causa do seu dom, a premonição. O garoto se irritou e disse:
- Você se esquece que não é a única especial aqui? Eles também estão atrás de mim!
Ela ficou chateada.
Ele disse que se ela quisesse ficar, seria um problema dela. Mas que ele não arriscaria a própria vida por nada, nem ninguém. Então, ele foi embora. Ela caiu de joelhos no chão e chorou desolada. Eu me aproximei dela e tentei consolá-la. A chamei para entrar na casa comigo. Porque ela havia saído para fora. Ela continuou no chão, chorando. Eu a peguei pelo braço e, com grande dificuldade, a levei para dentro e fechei a porta. A casa era simples e pequena. Havia uma sala que estava vazia, um banheiro e um outro cômodo que era uma sala, uma cozinha e ao mesmo tempo um quarto (tipo um quartinho mesmo). Esse cômodo era fofo e bem decorado. Havia uma cama de solteiro em um canto, com um lençol e fronhas com estampas florais.  Havia uma mesa com cadeiras, uma geladeira, um fogão e uma pia. Haviam vários objetos decorativos e um baú com roupas. Também havia uma porta dupla de vidro que era coberta por uma cortina, assim como uma janela.
  A garota tomou a forma de minha prima Francielly (Marina adora tomar esta forma) e olhou através do vidro da porta que estava fechada. Ela suspirou e se sentou em uma cadeira. Ela estava tão deprimida. Eu peguei um cobertor e a cobri. Ela ficou naquela cadeira por mais ou menos uma hora, enquanto eu ficava sentada em um tapete pensando em como animá-la e ajudá-la. Eu acabei me irritando (porque tipo, eu tenho um jeito estranho de lidar com pessoas sensíveis) e me aproximei da garota. A tirei da cadeira a puxando pelo braço. Ela disse que iria atrás do irmão dela. Eu disse que não deixaria ela fazer esta besteira, já que tinha gente procurando por ela. Ela se deitou no tapete no chão. E ficou assim por tanto tempo, que, no sonho, passaram-se dias.
Eu abri a janela e olhei para a rua. Era mesmo uma cidade fantasma. Estávamos bem próximas a uma igreja católica.
  Eu comecei a pensar em uma forma de sairmos para explorar aquela cidade, em busca de mantimentos e algo do tipo e, voltarmos antes do anoitecer.
A garota mudou de forma novamente e se deitou na cama. Uma outra garota morena (que aparentava ter uns 20 anos mais ou menos) apareceu ao lado dela. Essa garota parecia muito a Serena, mas não tenho certeza se era ela. Ela disse a mim que era irmã da outra que estava deitada na cama. E tentou consolar a outra. Então, ela acariciou o rosto da irmã e subiu em cima dela, a beijando e enfiando uma das mãos embaixo da saia da outra.
   A garota se sentou, assustada e perguntou o que ela estava fazendo.
Toda sensual, a outra disse que a amava desde quando elas eram crianças.
Mas a garota ficou muito surpresa com a revelação e me encarou, como se me perguntasse o que fazer. Eu encarei as duas, sem saber o que fazer. E, acordei.

  Pensem em um sonho confuso.
Acredito que as garotas eram ninfas. Provavelmente, uma delas era Serena. Será mesmo? Tomara que eu descubra nos próximos sonhos. Estou muito curiosa.

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Template by:

Free Blog Templates