sábado, 3 de novembro de 2012

Nixes



 Os Nixes ( singular masculino Nix, feminino Nixe ou Nixie) são entidades dos rios que podem atrair os homens para o afogamento. Nas línguas latinas, o termo é freqüentemente traduzido como ondinas. Quando femininas, essas entidades são também chamadas Loreleis, generalizando o nome de uma famosa nixe do Reno.


Nixes no folclore alemão


 Os machos podem assumir formas diferentes, inclusive a de humano, peixe e serpente.
 As fêmeas são belas mulheres com cauda de peixe. Esses seres são considerados malignos em algumas regiões, mas inofensivos e amigáveis em outras.
  No século XIX, Jacob Grimm mencinou a nixe entre os espíritos d' água que gostam de música, dança e canções e disse que "com sua canção, a nixe arrasta os jovens para si mesma e para as profundezas, como as sereias." Segundo Grimm, elas  podem parecer, mas tem leves traços animais: o macho tem orelha fendida e a fêmea, a barra da saia molhada.
   Uma nixe famosa do folclore alemão é Lorelei. Segundo a lenda, ela sentava na rocha no Reno que leva o seu nome ( uma rocha de 120 metros de altura perto de St. Goarshausen, na Renânia - Palatinado), no ponto mais estreito do rio e distraía pescadores dos perigos dos recifes com o som de sua voz. O nome significa "Rocha murmurante", do antigo dialeto alemão do Reno Lureln (murmurar) e Ley ( rocha) pois uma pequena cascata e as fortes correntes produzem um murmúrio que é amplificado pelo eco da rocha.
  Na Suíça, existe a lenda de uma nixe que vivia no lago Zug, no cantão do mesmo nome.


Nixes no folclore escandinavo


       Os termos escandinavos Näcken ou Strömkarlen ( sing. Näck ou Strömkarl) em sueco, Nokken, Grimm ou Fossegrim em norueguês, referem-se a espíritos masculinos da água que tocam canções encantadas no violino, atraindo mulheres e crianças para se afogarem nos lagos e rios. Nem todos esses espíritos eram, porém, malévolos.
      Muitas histórias indicam que pelo menos os Fossegrim eram inofensivos à sua audiência e atraiam não só mulheres e crianças, mas também homens para a sua doce canção. Também há contos nos quais o fossegrim aceita viver com uma humana que se apaixonou por ele, mas geralmente ela acaba indo embora com o fossegrim para a sua casa, geralmente uma cachoeira ou riacho. Os fossegrim ficam deprimidos se não têm contato livre e regular com uma fonte d' água.
         Se abordados de maneira apropriada, o fossegrim pode ensinar um músico humano a tocar tão bem "que as árvores dançarão e as cachoeiras se deterão ao ouvir sua música".  Uma tradição diz que se deve fazer ao nix uma oferenda de três gotas de sangue, um animal negro e um pouco de brännvin (vodka escandinava) ou snus ( rapé molhado) jogados n' água.
  É difícil descrever sua aparência, pois uma de suas características é o poder de mudar de forma. Pode se mostrar como um belo jovem tocando violino nos riachos e cachoeiras (mais ou menos elegantemente vestido nos contos folclóricos, hoje frequentemente imaginado nu), mas também pode aparecer como um tesouro, um objeto flutuante, ou um animal, mais freqüentemente um "cavalo do rio". Os nomes escandinavos são derivados do nórdico antigo nykr, "cavalo do rio". É provável que o cavalo do rio tenha precedido a personificação do nix como o "homem das corredeiras".
        A música fascinante dos nixes era mais perigosa para mulheres grávidas e crianças não batizadas. Supunha-se que eles eram mais ativos nas noites do Solstício de verão (festa de são João), na véspera do natal e nas quintas-feiras.
   Quando um nix malévolo tenta levar embora uma pessoa, pode ser derrotado se chamado pelo seu nome. Isso pode ser a morte para eles.
  O nix era também um prenúncio de afogamentos. Ele grita em um ponto de um lago ou rio, de maneira parecida a uma mobelha (ave aquática, gavia immer) e nesse lugar ocorrerá um acidente.
       Nos contos românticos do século XIX, o nix canta sobre sua solidão e seu anseio por salvação, que supostamente, jamais poderá ganhar, pois não é "filho de Deus". Em um poema do poeta sueco E.J Stagenelius, um menino se apieda do destino do nix e assim salva a própria vida. No poema, o menino diz que o nacken jamais será um "filho de Deus" que" traz lágrimas ao rosto" e que "nunca tocará de novo no riacho prateado".
       Na Escandinávia, os nenúfares são chamados "rosas nixes". Um conto da floresta de Tiveden conta como a floresta ganhou seus nenúfares vermelhos pela intervenção do nix:

          À margem do lago de Fagertärn, havia um pobre pescador com uma bela filha. O pequeno lago dava pouco peixe e o pescador tinha dificuldade em alimentar sua pequena família. Um dia, quando pescava em sua pequena canoa de carvalho, ele encontrou o nix, que lhe ofereceu grandes pescarias se lhe desse sua bela filha quando ela fizesse dezoito anos. O pescador, desesperado,aceitou. No dia em que a moça fez dezoito anos, ela foi à beira d' água encontrar o nix, que alegremente lhe disse que descesse à sua morada aquática. A garota, porém, puxou uma faca e disse que ele nunca a teria viva, meteu a faca no coração e caiu morta no lago. Seu sangue então, coloriu os nenúfares de vermelho e desse dia em diante os nenúfares de alguns lagos são vermelhos. Eu, particularmente, acho que essa garota cometeu um erro porque ao se matar, ela condenou a própria alma, e com certeza, o nix deve ter ceifado ela.

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Template by:

Free Blog Templates